É Verão, apetece ir de férias, estar na praia, apanhar sol e apetece ir para o mar. É óptimo estar na praia a ver o mar e poder mandar um bom mergulho num grande dia de praia e sol, mas fora estes fantásticos momentos de lazer, o mar é um recurso que tem um papel fundamental e precioso para a vida humana e equilíbrio ambiental. Esta longa extensão de água salgada cobre 73% da superfície da Terra.

A água do mar é completamente transparente, mas quando se observa, parece azul, verde ou cinzenta. Não é o reflexo do céu que torna o mar azul, mas sim o facto de a luz azul não ser absorvida, ao contrário do amarelo e do vermelho. A cor do mar depende também da cor da terra ou das algas transportadas pelas suas águas.

O termo mar também é usado para designar grandes lagos salinos que não tem saída natural, como por exemplo o Mar Cáspio e o Mar da Galileia e pode dividir-se também em mar alto e mar territorial

Mar alto ou alto-mar, é o conjunto das zonas marítimas longe das costas territoriais que não se encontram sob jurisdição de nenhum Estado. Nos termos do direito do mar, qualquer reivindicação de soberania sobre esta zona, da parte de um Estado, é ilegítima.

Mar territorial, é o espaço marítimo a partir do litoral de um Estado que é considerado parte do território soberano daquele Estado. A extensão do mar territorial varia entre 3 e 200 milhas, mas pode ter uma extensão maior, de acordo com a da plataforma continental.

A Zona Económica Exclusiva (ZEE) de acordo com a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, os países costeiros têm direito a declarar uma zona económica exclusiva de espaço marítimo para além das suas águas territoriais. A Zona Económica Exclusiva de Portugal tem 1 727 408 km2 de extensão geográfica, o que corresponde a 1,25% de toda a área oceânica sob jurisdição de países. Portugal possui a 3ª maior Zona Económica Exclusiva da União Europeia e a 11ª do mundo.